odalailima@gmail.com






quinta-feira, 27 de junho de 2013

Dicionário Portuense-Português


Rameira: profissional do sexo. 

Puta: mulher que cozinha mal.

Grave Geral


Benfiquistas aderem em massa à greve geral, por ser a única jornada em que ambas as partes asseguram vitória esmagadora.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Dilimas


No banco ou no colchão - o grande dilema dos casais portugueses.

Poesia


Um poeta olha  pr'ó alto. 

Vê nas nuvens rostos lírios e gatos. 

Um poeta só tem um problema 

Está sempre a cagar os sapatos.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Onomástica


Zeinal é um nome estranho à bava.

SôZé


– E cá pelo rectângulo o Tozé Seguro visitou a fábrica da Sicasal, SôDalai. 
– Isso. 
– O que é que ele lá foi fazer, SôDalai? 
– O que é que acha, o que se faz nesses sítios. 
– Que é o quê? 
– Encher chouriços. 
– Ah.

Brasil


Cai a ficha e Dilma percebe finalmente o que significa «potência emergente».

quinta-feira, 20 de junho de 2013

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Impressões


«A Lua, hoje, parece um queijo.» - Gastrónomo

Crise, what crise.


Vamos ter de sair do Euro. A dívida só vai ficar abaixo dos 70% em 2040. Agora parece que o Atlântico vai desaparecer e vamos colidir com a Terra Nova daqui a 20 milhões de anos. Porque é que não dizem tudo de uma vez?

terça-feira, 18 de junho de 2013

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Escritório Moderno


Se recebeu a carta, acuse a recepção. Se não recebeu, acuse a recepcionista.

Pai, Filho e Espírito Santo


Menino Jesus para S. José: «Pai, porque é que as pessoas morrem?» 

«Tem graça, ia perguntar-te precisamente isso.»

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Fés


Detesto dinheiro e tudo o que ele permite.

Greve


«Recusámos ser avaliados, agora recusamos avaliar. É uma questão de coerência.» – Mário Nogueira, líder da FENPROF

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Vidas


Sonho imenso, mas depois adormeço e esqueço-me de tudo.

Como funciona um electrocardiograma.


Somos conduzidos a uma salinha por uma enfermeira loira, semelhante a uma estrada de montanha, de vinte e poucos anos, bata imaculada e decote discretamente ofensivo. Com um sorriso radioso, convida-nos a despir da cintura para cima e deitar na marquesa. Aplica-nos então delicadamente gel azul-celeste em diversos pontos do tronco, enquanto, sem nunca deixar de sorrir, nos diz palavras de que já não captamos o nexo, como que para nos fazer dissipar algum nervosismo. Liga-nos então, por meio de ventosas, diversos eléctrodos ao peito. Finalmente, com um gesto decidido, liga a corrente.

Se o coração aguentar, é porque está porreirinho.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Este país


O que nos falta enquanto povo é sermos mais assertivos, ou não.

Angst



Aqui na jaula
O problema talvez maior
É não ser eu próprio
Leão,
Daniel,
Deus
Ou domador.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Maresias


Quando lhe dava a larica, o velho lobo do mar encostava-se à amurada, farejando a brisa e perscrutando o horizonte em busca de carneirinhos.

Alimente esta ideia


«Na nossa família, sabemos receber.» - Isabel Jonet