odalailima@gmail.com






sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Plítica


A bota é a arma do povo.

SôZé


E Pérolas, SôDalai?

Tenho uma, SôZé, mas não estou certo de que a deva partilhar.

Então porquê?

É que ouvi-la suscitou-me uma profunda perturbação, como quando vi A Estrada ou quando o Santana Lopes foi a PM. E receio que, agora que a DalaiLista é uma coisa para famílias, possa traumatizar os espíritos mais sensíveis.

SôDalai, deixe-se de merdas.

Tá bom. Então foi um futebolista, ontem, não faço ideia quem. E dizia ele lá com os seus botões: «… é um jogo especial como todos os outros mas este em especial foi especial nesta casa onde já fui feliz mas onde eu estou também sou feliz.»

– (…) – SôZé, diga qualquer coisa.

– Não posso.

– Porquê?

– Estou a ter um AVC.


– Muito obrigado. É boa ou não é?

Allons Enfants


François Hollande parece que saiu duma peça de Molière.

Parece que saiu por ser mau actor.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Monomania


«Ronaldo é o único português com duas Bolas de Ouro.» 
– Declaração real de repórter televisivo

sábado, 11 de janeiro de 2014

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Eslogãs


Eat shit. 317 million Americans can’t be wrong.

SôZé


– Então, SôDalai, e o que é que achou das exéquias do Eusébio?
– Muito bom. Se não à altura do Rei, pelo menos à altura do povo. Com direito a Pérolas e tudo.
– A sério? Conte, conte!

– Repórter de imagem na Segunda Circular a reportar faixas de circulação interditas à circulação na ponte pendonal.
– Pendonal? Muito bom. No fundo, uma ponte suspensa para peões. Mas suspensa é que ele não está, até está a avançar estranhamente depressa.
– É o Lóbi de Telheiras.
– Engraçada, a expressão «faixas interditas». Faz lembrar as perspectivas de o Benfica ganhar o Campeonato. Olhe lá, e o que é que achou das ideias do Orelhas para homenagear o Eusébio?
– Gostei de todas. O homem deve ter passado a noite em claro, porque hoje acordei com ele a dar ideias luminosas para homenagear o Pantera Negra.
– Por exemplo?
– Propôs um ano de luto, com os jogadores a usar fumos. Xipça, eu nem sabia o que eram fumos.
– Se calhar eram fumos mesmo. Tá a ver, fumos, dos outros.
– Ah, isso explicava muita coisa. Mas olhe lá, o homem fez-me disparar a imaginação.
– Não se esqueça do que vai dizer. Eu também tenho uma Pérola para si. Um daqueles guineenses apeados no aeroporto. Perguntam-lhe a opinião, e ele, vum: «Na minha imaginação pessoal…»
– Lindo. Mas estava eu a dizer, o Orelhas fez-me disparar a imaginação. E tenho uma série de ideias para homenagear o Quingue.
– Chute,
– Então aqui vai. Uma. O Orelhas tatua «Eusébio» nas bochechas. Duas. Durante um ano, as crianças que nascerem em Portugal têm de se chamar «Eusébio», incluindo as meninas. Três. O Djizaz fica obrigado a um ano de silêncio. Quatro. Eusébio é feito Marechal. Cinco. O Canal 2 da RTP passa a ter uma emissão única 24/24 de uma Webcam sobre a campa do Eusébio. Seis. No Estádio da Luz, que muda de nome para Eusébio, passa a haver uma pira permanente cuidada por virgens vestais presidida pela Dra. Assunção Esteves. Seis. Nas escolas, no sítio onde dantes havia o crucifixo, passa a haver uma foto do Eusébio. Sete. O vermelho passa a ser a cor oficial do luto. Oito. O Porto, o Sporting e a Académica são irradiados do Campeonato para o Benfica ter hipóteses de homenagear o Rei ganhando. Nono. António José Seguro imolado pelo fogo. Décimo. Portugal muda de nome para Eusébio e recusa-se a pagar a dívida invocando a necessidade de financiar a erecção de um novo Panteão Nacional onde O Rei possa jazer sozinho. Que lhe parecem estas medidas?
– Comedidas. Parecem-me uma bela homenagem à modéstia do Eusébio.
– Viva o Eusébio, SôZé.
– Viva o Eusébio, SôDalai. E que caia uma onda gigante que lave o Orelhas e os outros como ele todos daqui para fora.

– Isso.

Branca de Neve


Merkel parte bacia a esquiar. Em mensagem dirigida aos países sob resgate, Chanceler realçou que consequências poderiam ter sido bem piores caso tivesse abandonado o percurso pré-estabelecido.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Soares é Selfish


Mário Soares sobre Eusébio:
«Era um homem agradável, com pouca cultura.»
«Fui algumas vezes almoçar naqueles restaurantes onde ele comia.»
«Não sabia nada que ele estava doente, sabia que bebia muito whisky, todos os dias, de manhã e à tarde, isso eu sabia.»


Mário Soares é um homem desagradável, isso já sabíamos, o que não sabíamos era que bebia muito whisky, todos os dias, de manhã e à tarde.

Imortal



Eusébio (1942 -   )

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Votos Populares


Ultimamente, quando me desejam Bom Ano Novo, sinto-me como um gnu a quem desejam Bom Crocodilo.

Ex-Sexos


Se a tua mulher te acusar pela enésima vez de não seres capaz de te desfazer daquelas coisas velhas sem préstimo que te atravancam a casa, invoca a indissolubilidade do matrimónio.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Adage-os


Chávena escaldada de água fria tem medo.

SôZé


– E o Cavaco lá promulgou aquilo, SôDalai.

– E parece que sem fiscalização preventiva.

– Da fiscalização sucessiva é que não nos livramos.

– Não, parece que não, SôZé.

– Mas afinal o que é que é isso exactamente, a fiscalização sucessiva?

– É não pararem de nos aumentar os impostos.

– O senhor sabe tanta coisa, SôDalai.

– Paneleirices não, SôZé.


– Desculpe.

2014


Era muito organizado. A cada 1 de Janeiro começava um novo ano.